Sexta-feira, dia 25 de Maio Terminei meu último post, do dia 22 de Maio com a s seguinte frase: “E viva o Brasil”. E com ela começo este novo post “E viva o Brasil”. Cheguei na madrugada de quarta-feira, dia 23, em Florianópolis. Quis descansar, e da viagem, ter apenas as lembranças. É ótimo viajar, mas também é ótimo chegar em casa. Na ultima terça-feira cheguei do zôo no hostel em Buenos Aires e arrumei minhas coisas, comi e descansei. Depois, às 16h00m caminhei 5 quadras e cheguei ao ponto de ônibus. Por $ 2,00 percorri 35km até o aeroporto internacional de Ezeiza. O problema foi não ter $ 2,00 em moedas, mas o motorista do ônibus “berrou” e apareceu uma senhora simpática com duas moedas de $ 1,00. Me senti aliviado, além de agradecido. Duas horas de viagem e desembarquei no aeroporto. Pouco antes das 19h00m descobri que perdi o visto da imigração. Um papelzinho muito parecido com recibo simples de compras em mini mercados. Mas aquele pedaço de papel carimbado me incomodou. Descobri que precisaria solicitar uma segunda via, com valor de $ 100,00, o que eu não tinha. Eu já tinha pouco nos últimos dois dias de viagem e o que fiz foi gastar pra não ter que voltar com peso argentino pro Brasil. Mas pela falta de dinheiro eu poderia ficar lá, sem viajar e perder a passagem. Liguei para o Brasil e em 40 minutos minha mãe depositou o valor mínimo no sistema Visa Travel Money, R$ 200,00 pouco mais que $ 400,00. Mais tranquilo, paguei a taxa e fiz liberei minha mala. Com o ticket em mãos, sai e aproveitei para jantar, risos. Já que tinha dinheiro comi bem, MC, coca-cola, sorvete e alfajor, “ow delícia”. Às 00h30m cheguei em Florianópolis e meu amigo me buscou e me levou até Balneário Camboriú. Enfim, em casa! Depois posto sobre os lugares que passei e valores. Até!

Terça-feira, dia 22 de Maio

 

Mais um dia de despedidas, e essa é a última. Acordei novamente às 07h30m e tive a sorte de não estar chovendo. Me arrumei e sai para visitar o Zoológico de Buenos Aires. Peguei o metrô à poucos metros do hostel, troquei de metrô e em menos de meia hora estava no parque. O problema: cheguei cedo de mais, só abriria às 10h00m. Caminhei várias vezes de um lado pro outro e aproveitei o tempo para tomar café. A empanada era $ 7,00, um pouco mais caro que na região central, mas acabei aceitando e mais problemas, conta final: $ 50,00. Quase tive um enfarte. Corri pro zôo e $ 25,00 a entrada geral, sem acesso ao aquário, terrário e passeio de barco. Essa entrada era $ 40,00. Mas valeu a pena, o zôo é o maior da América Latina. Muito bem organizado, limpo e rendeu algumas fotos. Agora pouco voltei pro hostel, arrumei minhas malas, fiz meu almoço com o que comprei de comida esses dias, e cá estou. Depois de postar agora vou caminhando até a estação e pego um ônibus coletivo para o aeroporto de Ezeiza. E viva o Brasil. 

Segunda-feira, dia 21 de Maio

 

Ontem pedi para o pessoal do hostel me acordar cedo. Estava tão ansioso pra conhecer Buenos Aires que acordei sozinho antes do combianado, às 07h30m. Tomei um rápido banho e um farto café enquanto via o telejornal da manhã de Buenos Aires. Não tinha olhado pra rua e o apresentador anuncia: “E CHOVE NESTE MOMENTO EM BUENOS AIRES”. BAH, acabou comigo. Esperei de 08h15 até 09h10m e nada de parar de chover. Resolvi sair e conhecer a cidade de baixo de chuva mesmo. As fotos ficaram horríveis, mas eu tinha duas opções, conhecer ou não. Fiz tudo que poderia fazer, de baixo de chuva, risos. Caminhei das 09h10m às 15h45. Ainda por cima me perdi, fiquei perambulando pela rua do hostel por mais de 45 min. Depois tudo resolvido. Todo molhado, decidi tomar outro banho. No caminho do hostel parei em um mini mercado, comprei algumas coisas. Não muitas, está acabando “la plata”, risos. Hoje conheci: Puerto Madero, Plaza de Mayo , Casa Rosada, Catedral Metropolitana, Café Tortoni, Obelisco, Teatro Colón, Calle Florida, livraria El Ateneo

Domingo, dia 20 de Maio

 

Enfim, minha ultima viagem de ônibus dentro da Argentina. Estava ansioso por isso. Mas antes de viajar aproveitei pra conhecer o centro de Jujuy, achei diferente do que pensava. A cidade é grande, estilo antiga, mas bem mais tranquila do que a minha primeira impressão. Parei em uma igreja e orei, que há tempos não fazia. Depois voltei para o hostel, me despedi dos novos amigos e fui ao terminal de ônibus. Às 15h30m saiu o ônibus para Buenos Aires. A previsão era de chegar às 13h00m de domingo, mas o ônibus estragou e cheguei ás 17h00m. Perdi a feira de San Telmo que é uma das principais atrações de Buenos Aires e só acontece aos domingos. A viagem foi tranquila, sendo que quase morri de frio por ter esquecido a jaqueta no hostel em Jujuy. Fora isso, quando cheguei no terminal de retiro me informei sobre o metrô. Economizei $ 55,00. E amanhã vamos conhecer a cidade.  

Sexta-feira, dia 18 de Maio

 

Hoje continuei a conhecer as belezas de San Salvador de Jujuy. Na verdade, aqui na cidade não tem muita coisa para se conhecer. Jujuy é uma grande cidade em tamanho, mas uma cidade de classe baixa. O que chama muito turista são as pequenas cidades ao redor. Hoje fui conhecer Tilmacara e Humauaca, lugares também reconhecidos pela Unesco como patrimônio mundial. Não achei muito diferente do que conheci ontem, Purmamarca. São pequenos povoados, ricos em cultura e belezas naturais. Gente que vive da venda de artesanatos e turismo.

Os gastos também foram parecidos como ontem, $ 60,00 ida e volta de ônibus e os lugares não cobram entrada. Aproveitei e comprei alguns objetos de decoração, $ 10,00 risos.

Depois voltei pra cidade e cortei o cabelo, estava na hora. O preço? $ 45,00. Achei caro. E também fiz compras, $ 52,00. Além disso comprei minha passagem de ônibus até Buenos Aires, viajo amanhã às 15h30m, mais 20 horas de viagem.